O Novo Buzz do Implante Capilar: Robo Artas

Posted by on Out 8, 2016 in Artas | 0 comments

Os avanços tecnológicos na robótica trouxeram uma novidade para a medicina cosmética: Cirurgia Capilar Robotizada. Entenda tudo sobre FUE com robô e porque esse método de transplante capilar é o novo buzz da cirurgia estética no mundo.

O que é o Artas?

O Robô Artas é uma máquina desenvolvida pela Restoration Robotics e programada para realizar procedimentos cirúrgicos de restauração Capilar com o método FUE.

O método FUE empregado pelo Artas garante que a extração dos folículos capilares seja executada com precisão ímpar e resultados consistentes.

O robô possue  um braço robótico que permite grande amplitude de movimentos, usa uma tecnologia digital de mapeamento, grids e uma interface permite o controle da extração por meio de um computador.

Atualmente ele trabalha apenas na extração das unidades foliculares, fazendo o trabalho com mais segurança e agilidade, também garantindo melhores condições da unidades extraídas.

O Processo do Artas

A incisão das unidades foliculares é um processo muito trabalhoso e repetitivo que requer muita precisão. Essa tarefa que é muito exigente para seres humanos pode ser facilmente executada por uma máquina. Saiba tudo do Artas transplante.

Essa etapa ocorre da seguinte forma:

  1. Localiza-se a unidade folicular que precisa ser colhida;
  2. O Punch é alinhado e centralizado.
  3. Ocorre o primeiro push, com corte, para separar a unidade da pele.
  4. É realizado o segundo push, sem corte, para desprender a unidade sem comprometer a qualidade dela.

O punch é dividido em duas etapas para maximizar o aproveitamento das amostras, evitando danos ao enxerto e garantindo sua integridade.

imagesA automação dessa etapa reduz a carga de trabalho da equipe médica, garantindo maior conforto para o paciente e uma recuperação mais ágil, já que o Artas opera de forma mais precisa e menos invasiva do que o procedimento manual.

Após o Artas concluir o punch, a equipe médica retira manualmente as unidades foliculares do couro cabeludo do paciente. Para minimizar a chance de rejeição, os enxertos são colocados numa solução nutritiva, visando preservar suas características.

Depois dessa etapa, resta apenas o implante capilar propriamente dito, que é feito exclusivamente pelo cirurgião, já que o robô não tem a delicadeza necessária ou a capacidade de visualizar o resultado final como o médico tem, garantindo um resultado mais natural.

Desvantagens

Apesar de ser mais moderno e melhorar o processo clínico, o robô Artas apresenta algumas desvantagens.

A maior desvantagem é o limite no uso, o robô não consegue extrair as unidades foliculares da lateral da cabeça do paciente, que é uma das mais utilizadas nos processos manuais.

Alguns médicos acham que o robô é apenas um novidade e que o buzz vai passar, outros acham que é um passo importante na automação de tarefas que pode levar a um aumento significativo na qualidade dos implantes capilares.